BLOG

Negócios para abrir em bairro pequeno: quais os melhores?

Muitas vezes, bairros pequenos são deixados de lado pelos negócios. Isso acontece porque alguns empreendedores acreditam que o baixo poder aquisitivo dos moradores será uma barreira na hora das vendas. Mas o que acontece na prática é justamente o contrário. Negócios para abrir em bairro pequeno podem ser boas opções, afinal, esquecidas, essas regiões sofrem com carência de oferta, e as pessoas são obrigadas a se deslocar para lugares distantes para fazer suas compras.

Ou seja, quem procura negócios para abrir em bairro pequeno e é capaz de atender essas necessidades e levar conveniência a preços acessíveis tem tudo para chegar ao sucesso. E com a tecnologia, fica ainda mais fácil usar aplicativos como o iFood para ampliar sua capacidade de vendas, atingindo também as regiões vizinhas de uma forma segura, simples e rápida.

Separamos algumas dicas de negócios para abrir em bairro pequeno. E fique atento, porque algumas delas investem forte no lado social e sustentável, usando a capacidade produtiva do bairro para gerar renda aos moradores ao mesmo tempo em que traz lucros para o empresário. Vamos conferir?

1. Mini Mercados

Os mini mercados vem crescendo cada vez mais no Brasil. Hoje em dia em São Paulo, a impressão é que eles dominaram os condomínios!

Negócios para abrir em bairro pequeno

Essa tendência surgiu depois da pandemia, onde as pessoas perceberam que é mais fácil fazer compras simples em lugares mais cômodos, como dentro de seus condomínios, sem aquele estresse de pegar o carro, procurar uma vaga, ir até o estabelecimento e muitas vezes só comprar um único item.

É por isso que esse tipo de negócios para abrir bairro pequeno veem crescendo muito nos últimos anos. Uma franquia para você que quer entrar nesse mundo dos mini mercados é a Market4U.

A franquia Market4u é uma rede de mercados dentro de condomínios. Ela foi fundada em 2019, em Curitiba. O modelo de negócio é totalmente automatizado, não precisando de funcionários no local.

A franquia está em mais de 100 cidades no Brasil e na América Latina, e ela usa uma tecnologia própria. Além disso, a rede já tem mais de 2 mil unidades e atende mais de 600 mil moradores de condomínios por mês. O franqueado precisa começar o trabalho com o mínimo de cinco pontos de vendas pra instalar nos locais parceiros.

Por um lado, você vai ter que já começar na loucura né? encontrar 5 condomínios para colocar seu negócio. Mas justamente por isso o investidor tem um retorno mais sólido, já que a área de atuação é mais diversificada.

NÚMEROS

  • Faturamento médio mensal: R$8.000,00
  • royalties: 6%
  • propaganda: não cobra
  • retorno: 16 meses
  • Investimento inicial: a partir de R$ 150 mil

2. Negócios para abrir em bairro pequeno: Confecção

Criar uma confecção em um bairro popular pode ser uma ótima ideia de investimento. Isso porque todo mundo sempre precisa de roupa. Ou seja, não importa muito a situação econômica do local, pois é um setor com demanda constante.

Segundo estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o faturamento previsto para o setor nacional de vestuário era de R$208 bilhões em 2022, um crescimento de 1,1% na comparação com as vendas do ano anterior.

Todo esse potencial fez com que o segmento de comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios liderasse a abertura de negócios no Brasil em 2022, com um total de 174 mil novos CNPJs criados, de acordo com dados da plataforma de inteligência de vendas Córtex.

Mais do que um bom investimento, ter uma confecção local ajuda a melhorar a economia da região, gerando empregos nas mais diversas funções, como costureiras, modelistas, auxiliares de produção e também em funções administrativas. Isso pode fazer uma grande diferença na vida das pessoas, proporcionando renda mais estável para as famílias.

A produção local também permite oferecer produtos de qualidade a preços acessíveis. No fim das contas, a confecção pode ser uma oportunidade para valorizar e preservar técnicas de costura e bordado que fazem parte da cultura e história do bairro. Além disso, por conhecer os modos de vestir dos moradores, a empresa é capaz de criar peças customizadas e que vão de encontro ao gosto do consumidor.

Juntos, esses fatores ajudam a criar uma imagem positiva dentro da comunidade, abrindo importantes canais de venda que serão fundamentais para garantir o sucesso do negócio. Afinal, todos vão fazer questão de comprar uma roupa feita sob medida pela mãe, pela tia, ou por aquela vizinha que conhecemos há décadas.

3. Loja de produtos orgânicos

Nos últimos anos, o mundo viu uma verdadeira explosão do mercado de produtos orgânicos. Com a pandemia, as pessoas passaram a dar cada vez mais atenção para sua saúde, e isso também se reflete na qualidade dos alimentos consumidos.

Para se ter uma ideia, de acordo com a Organis (Associação Brasileira de Produtos Orgânicos), este segmento saltou cerca de 30% em 2020, movimentando R$5,8 bilhões no país. Desde então o ritmo de crescimento diminuiu um pouco, mas a expectativa é que os produtos orgânicos fechem 2023 gerando um faturamento superior a R$7 bilhões.

Apesar do enorme potencial deste mercado, os bairros populares ainda sofrem com a falta de oferta. Em geral, os moradores que buscam opções saudáveis precisam se deslocar para outras regiões. Isso significa que, ao abrir uma loja de produtos orgânicos, você estará levando conveniência e tornando a vida das pessoas mais prática.

Outros posts que você pode gostar:

Outra vantagem é a chance de trabalhar com produtores locais. Muitas vezes, regiões mais carentes reúnem pequenos produtores, especialmente quando falamos de cidades do interior. Essa pode ser uma oportunidade para estabelecer uma boa rede de fornecedores que vai gerar renda e beneficiar famílias próximas, ao mesmo tempo que garante bons produtos a valores mais acessíveis.

Por fim, este tipo de comércio gera uma imagem muito positiva entre os moradores, pois ajuda a conscientizar as pessoas sobre hábitos saudáveis e sustentáveis. Nesse sentido, oferecer cursos e oficinas que ensinam receitas a partir de ingredientes orgânicos pode ser uma ótima iniciativa para divulgar seu negócio, gerar oportunidades de renda e disseminar uma nova cultura alimentar pela comunidade.

4. Negócios para abrir em bairro pequeno: Loja de produtos artesanais

O mercado de artesanato vive um ótimo momento. Afinal as pessoas cada vez mais buscam produtos exclusivos e personalizados que dificilmente são encontrados nas grandes lojas. A boa notícia é que muitos bairros populares reúnem gente super talentosa nas mais diferentes formas de artesanato, mas essas pessoas não encontram espaço para vender e expor seus produtos.

Por isso, investir em uma loja do segmento pode ser uma ótima ideia para ganhar dinheiro e ainda oferecer oportunidades que ajudam a dar visibilidade para os talentos locais. Dados do Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab) mostram que, apenas entre janeiro e agosto de 2022, o número de novas inscrições de profissionais na plataforma mais que dobrou, o que indica um aumento no número de profissionais que se dedicam a essa atividade.

Ao mesmo tempo, o Sebrae estima que o país tenha hoje cerca de 8,5 milhões de artesãos em todo o território nacional. Em termos gerais, o setor representa nada menos do que 3% do nosso PIB e movimenta R$50 bilhões todos os anos.

Um dos pontos positivos da loja de produtos artesanais é sua versatilidade. Na prática, você pode, por exemplo, vender produtos feitos em tecido, como almofadas, panos de prato e tapetes. Também é possível oferecer trabalhos em madeira, como móveis rústicos e itens decorativos, ou então artigos de cerâmica, como pratos, xícaras e vasos, e até mesmo produtos alimentícios, como pães, bolos, biscoitos e geléias de fabricação própria.

Ou seja, é um negócio com ótimo potencial, que estimula a cultura da região e ainda permite trabalhar com um leque quase infinito de itens. Quer saber as melhores opções de investimento e começar a ganhar dinheiro? Então, clique no botão abaixo e descubra as melhores opções para investir:

5. Artigos de segunda mão

Em regiões carentes, as pessoas geralmente precisam economizar em suas compras para que não falte dinheiro para as despesas do dia a dia. Por isso, elas nem sempre conseguem adquirir itens novos, especialmente no caso de eletrodomésticos, móveis, roupas e brinquedos.

Assim, comércios com foco em artigos de segunda mão, como brechós, sebos e antiquários costumam ter um grande apelo junto a esse público. Pelo lado de quem compra, essas lojas dão acesso a algo que a pessoa precisa por um custo muito mais acessível. Já quem se desfaz do bem conseguem levantar um dinheiro importante com um produto que não está mais precisando ou que deixou de ter utilidade.

Segundo um levantamento feito no ano passado pela plataforma de intermediação de produtos Enjoei, 56% dos entrevistados já fizeram algum tipo de negócio envolvendo artigos de segunda mão, seja comprando ou vendendo. Além disso, 12% do guarda-roupa dessas pessoas é composto por artigos usados, o que mostra o alto potencial de se empreender no setor.

E não são apenas os fatores financeiros que explicam isso. A preocupação das pessoas com a sustentabilidade e com o planeta vem aumentando nos últimos anos. Nesse contexto, negócios capazes de dar uma nova vida para aqueles objetos que seriam descartados tendem a ganhar a simpatia do consumidor, e isso se reflete também em uma boa renda.

6. Reparos de bicicletas é uma opção de negócios para abrir em bairro pequeno.

O setor de bicicletas viveu uma verdadeira explosão durante a pandemia. Sem poder sair de casa para fazer atividades físicas em grupo, como ir à academia ou praticar esportes coletivos, as pessoas recorreram às duas rodas para ficar em forma sem correr o risco de contrair o vírus nos meses mais críticos.

Desse modo, as vendas dispararam, passando de 4 para 6 milhões de unidades por ano entre os anos de 2019 e 2021, de acordo com dados da Aliança Bike, entidade que reúne empresas do setor.

Ainda que o segmento tenha perdido um pouco de força no ano passado com o avanço da vacinação, o fato é que muitas pessoas possuem bicicleta em casa, especialmente em bairros populares, onde ela se mostra uma opção mais acessível e econômica na comparação com carro e até mesmo com o transporte público.

Quem pensa em empreender nessa área tem a vantagem de entrar em um negócio de baixo custo, pois os equipamentos usados no reparo de bicicletas costumam ser baratos. Além disso, sempre existirá demanda, pois as pessoas que usam a bike no dia precisam fazer reparos constantes por causa do desgaste natural das peças.

Para completar, o investimento nesse tipo de negócio cria uma boa imagem junto ao público, pois ajuda a construir uma cidade mais limpa, sustentável e consciente, contribuindo para reduzir a poluição e também os congestionamentos no trânsito.

7. Delivery de Fast Food

Em bairro grande ou em bairro pequeno, uma coisa é certa: todo mundo gasta com alimentação e se for com aquele hot dog no fim de semana, melhor ainda. Junte isso ao fato de que o setor de franquias de alimentação cresceu 5,2% no ano passado e faturou mais de 30 bilhões, de acordo com dados da ABF, e você tem a justificativa perfeita para investir na Dogueria Perdizes.

Com modelo delivery e loja de rua, o investimento inicial parte de R$ 130 mil e é possível faturar até 1 milhão por ano com uma unidade da Dogueria. A marca investe em um cardápio variado com ingredientes especiais e até hot dog doce, para saciar a vontade de todos os integrantes da família.

Se esse negócio é a sua cara, acesse agora a página da Dogueria Perdizes e entre em contato com um dos representantes da marca:

Gostou do post? Então, acompanhe nossas publicações semanais e também nossa conta do Instagram!


Gostou? Então assista o vídeo abaixo e se inscreva no canal, ative as notificações para receber o melhor conteúdo sobre Franquias e Negócios!